Intro

Aqui as pessoas encontram suas paixões.

Se uma palavra pode definir o YouTube, é paixão. É para lá que as pessoas vão quando querem conteúdo que inspire, divirta, informe e, mais ainda, que permita mergulhar nos seus assuntos de maior interesse. No fim, o YouTube é isso: o ponto de encontro entre pessoas que compartilham interesses, seja produzindo ou seja assistindo um vídeo.

60% das pessoas

que assinaram a um vídeo no Youtube nas ultimas 24 horas dizem que o conteúdo era relacionado com algo que são apaixonadas.

Fonte: Google e OMG, Estudo “Personal Primetime”, EUA, n-3.200 respondentes, out. 2018.

E o que isso tem a ver com as marcas? Tudo. Quem produz conteúdo se engaja com aquilo que as pessoas querem de verdade, criando histórias mais profundas e conexões mais reais a partir dos universos habitados pela marca e pelo público. Vamos ver como isso acontece?

Pessoas

Videos que ensinam as pessoas a fazerem algo são o segundo tipo de video mais buscado em todo o YouTube.

No YouTube, interação é muito mais que um clique. Aqui, os vídeos inspiram ações reais das pessoas. Ensinar a dar banho no bebê, testar uma receita, treinar uma manobra de skate, pintar o quarto sozinho, enfim, o universo do YouTube é tão grande quanto o que as pessoas querem descobrir.

O poder dos YouTubers

Poucas coisas têm mais valor no YouTube que seus criadores. E no Brasil eles têm muito peso. Para você ter uma ideia, dois canais brasileiros estão entre os 15 maiores de todo o YouTube: o da produtora musical Kondzilla, com mais de 50 milhões de inscritos, e o do Whindersson Nunes, com mais de 36 milhões.

O que acontece quando um YouTuber fala

+11.933%

nas vendas do livro “A Parte que Falta” na semana de publicação do vídeo da Jout Jout a seu respeito.

O que acontece quando um YouTuber fala

+161%

nas buscas sobre escovas de dente elétricas no dia da publicação do vídeo do Manual do Mundo sobre como elas funcionam.

ESTRATÉGIA

Conteúdo como estratégia de marca: uma combinação que funciona.

Você pode ainda estar se perguntando: em que momento faz sentido usar o conteúdo em estratégia de comunicação de marca? E para quê?

Para responder, vamos lembrar duas características fundamentais dos conteúdos no YouTube. A primeira é o tamanho. O YouTube é capaz de atingir milhares e milhares de pessoas ao mesmo tempo.

Aumentando a exposição de marca

Um bom conteúdo pode amplificar o que a marca tem a dizer. Ainda mais se ela usar linguagens nativas do YouTube e se engajar com criadores para dar corpo à campanha.

Stella for the Throne

A Stella Artois convidou os canais Omelete e Gioh para uma entrevista inédita com o ator de Game of Thrones na semana de encerramento da série.

Aumentando a exposição de marca

Um bom conteúdo pode amplificar o que a marca tem a dizer. Ainda mais se ela usar linguagens nativas do YouTube e se engajar com criadores para dar corpo à campanha.

Case FreeCô

A FreeCô convidou os canais Porta dos Fundos e Diva Depressão para falar sobre a marca de forma natural e autêntica. Esses conteúdos promoveram um aumento de buscas pela marca no Google.

Mostrando a funcionalidade de um produto ou serviço.

O conteúdo ajuda você a falar sobre funcionalidades de uma maneira atraente e interessante, contextualizando o produto ou serviço dentro de um tema.

Uma vantagem do YouTube é não ter limite fixo de secundagem: assim, você pode deixar a criatividade rolar solta na hora de pensar em como apresentar seu vídeo.

Itaú Carnaval + FitDance

O FitDance criou vídeos para o Carnaval em que apresentava, através de coreografias, serviços do banco que poderiam ser usados sem o cartão. O serviço era para quem queria curtir a folia em segurança.

Agendamento de pagamento
Carteiras digitais
Teclado Itaú

Mostrando a funcionalidade de um produto ou serviço.

O conteúdo ajuda você a falar sobre funcionalidades de uma maneira atraente e interessante, contextualizando o produto ou serviço dentro de um tema.

Uma vantagem do YouTube é não ter limite fixo de secundagem: assim, você pode deixar a criatividade rolar solta na hora de pensar em como apresentar seu vídeo.

Motorola G7

A Motorola desafiou YouTubers a usarem o novo celular e testar suas diferentes funcionalidades.

Expandindo o universo de interesse

Uma das coisas legais de usar conteúdo como estratégia é poder criar um diálogo always on com o público. Isso acontece com uma boa exploração do universo que a marca habita.

TRESemmé

Algumas Creators foram chamadas para falar sobre suas rotinas de cabelo e ao mesmo tempo divulgar a ativação da marca Studio TRESemmé.

Expandindo o universo de interesse

Uma das coisas legais de usar conteúdo como estratégia é poder criar um diálogo always on com o público. Isso acontece com uma boa exploração do universo que a marca habita.

CIF

A marca criou vídeos com criadores de diferentes universos para apresentar seu produto, mesclando conteúdos de how to com uma demonstração de como o produto funciona.

Aumentando a exposição de marca

Um bom conteúdo pode amplificar o que a marca tem a dizer. Ainda mais se ela usar linguagens nativas do YouTube e se engajar com criadores para dar corpo à campanha.

Stella for the Throne

A Stella Artois convidou os canais Omelete e Gioh para uma entrevista inédita com o ator de Game of Thrones na semana de encerramento da série.

Aumentando a exposição de marca

Um bom conteúdo pode amplificar o que a marca tem a dizer. Ainda mais se ela usar linguagens nativas do YouTube e se engajar com criadores para dar corpo à campanha.

Case FreeCô

A FreeCô convidou os canais Porta dos Fundos e Diva Depressão para falar sobre a marca de forma natural e autêntica. Esses conteúdos promoveram um aumento de buscas pela marca no Google.

Mostrando a funcionalidade de um produto ou serviço.

O conteúdo ajuda você a falar sobre funcionalidades de uma maneira atraente e interessante, contextualizando o produto ou serviço dentro de um tema.

Uma vantagem do YouTube é não ter limite fixo de secundagem: assim, você pode deixar a criatividade rolar solta na hora de pensar em como apresentar seu vídeo.

Itaú Carnaval + FitDance

O FitDance criou vídeos para o Carnaval em que apresentava, através de coreografias, serviços do banco que poderiam ser usados sem o cartão. O serviço era para quem queria curtir a folia em segurança.

Agendamento de pagamento
Carteiras digitais
Teclado Itaú

Mostrando a funcionalidade de um produto ou serviço.

O conteúdo ajuda você a falar sobre funcionalidades de uma maneira atraente e interessante, contextualizando o produto ou serviço dentro de um tema.

Uma vantagem do YouTube é não ter limite fixo de secundagem: assim, você pode deixar a criatividade rolar solta na hora de pensar em como apresentar seu vídeo.

Motorola G7

A Motorola desafiou YouTubers a usarem o novo celular e testar suas diferentes funcionalidades.

Expandindo o universo de interesse

Uma das coisas legais de usar conteúdo como estratégia é poder criar um diálogo always on com o público. Isso acontece com uma boa exploração do universo que a marca habita.

TRESemmé

Algumas Creators foram chamadas para falar sobre suas rotinas de cabelo e ao mesmo tempo divulgar a ativação da marca Studio TRESemmé.

Expandindo o universo de interesse

Uma das coisas legais de usar conteúdo como estratégia é poder criar um diálogo always on com o público. Isso acontece com uma boa exploração do universo que a marca habita.

CIF

A marca criou vídeos com criadores de diferentes universos para apresentar seu produto, mesclando conteúdos de how to com uma demonstração de como o produto funciona.

COMO CRIAR

Mas afinal, como criar conteúdo?

Aprendendo com o mundo do entretenimento.

O YouTube pode ser muitas coisas. Como uma enorme plataforma de entretenimento, por exemplo. Por isso, você pode pensar em criar conteúdo igualzinho aos filmes e séries de sucesso: ou seja, pensando no que as pessoas querem ver.

Pense em temporadas, e não em flights

O conteúdo que você vai fazer é diferente de uma campanha “normal”. Ou seja, é preciso mais do que apenas espalhar uma mensagem. Quanto mais diálogo e relacionamento você criar, melhor. Seu conteúdo precisa de uma ativação estratégica contínua, então é importante construir relações com a audiência.

Crie o que é interessante para as pessoas

A marca pode ser viabilizadora, ou seja, dar acesso a um conteúdo desejado pelo público. Ela também pode prover informações úteis, se aprofundar em um tema ou “apenas” entreter. Mas só uma coisa importa: o conteúdo da marca precisa ser interessante e engajador para a audiência. Uma boa pergunta para se fazer é: porque as pessoas vão querer assistir a esse vídeo?

Mantenha sua comunidade ativa

No mundo digital, se você ficar sem postar, nunca vai criar relacionamentos. Por isso, os criadores atualizam seus canais toda semana, ou até todo dia. Lembre-se: a regularidade traz engajamento. A consistência mantém as pessoas ligadas.

Entenda sua comunidade

Se sua audiência tiver interesse em algum assunto, é melhor virar um expert nisso. Analise os tipos de conteúdo desse universo. Use o Google Trends, o YouTube Analytics, dados do seu canal ou análises de social media para saber o que seu público busca, e porquê. Provoque interações dentro do seu canal, convidando o público a enviar ideias e dicas, e responda a todas as perguntas feitas nos comentários.

Ajude sua comunidade

Descobriu o que sua audiência quer? Ótimo. Agora inclua essas palavras-chave nos metadados do seu vídeo. Organize seu canal usando títulos, palavras-chave, thumbnails e descrições. Assim você ajuda o público a encontrar o que procura.

Estimule o engajamento

Uma última coisa: estimule a audiência a se inscrever no canal e a compartilhar seu conteúdo. Isso pode ajudar seus vídeos a se espalharem de maneira orgânica junto às pessoas que podem se interessar pela sua marca. Para isso, é preciso ter orgulho do seu canal: só assim você consegue pedir às pessoas que sigam e se engajem.

Apareça para as pessoas certas

OK, você já desenvolveu a estratégia, a criação e a produção do conteúdo. E agora? Como você vai aproveitar o potencial do YouTube para fazer seu conteúdo aparecer ainda mais para as pessoas? Aqui vão alguns formatos para amplificar o projeto:

Conecte conteúdo e campanha

Use a mesma linguagem e identidade visual para criar um link entre conteúdo e campanha, otimizando as duas ações.

Crie versões do conteúdo para ser utilizado nos canais das marcas ou como publicidade

Aproveite os vídeos com criadores para criar assets a serem explorados como publicidade, em outros meios e plataformas.

Use plataformas sociais para amplificar o conteúdo

Aproveite a força dos criadores e explore o conteúdo produzido em todas as outras plataformas sociais e audiências.

Faça o criador criar chamadas no seu canal

Aproveite o poder orgânico do canal e convide as pessoas a assistir ao vídeo produzido junto com a marca.

Integre o canal da marca e do YouTuber

A sua marca tem um canal próprio? Pense em integrações entre ele e o canal do criador. Por exemplo, o canal do criador pode ter chamadas falando do seu produto e levando o público ao canal da marca, onde as pessoas encontram tutoriais de como utilizá-lo.

Como Medir

Como saber se o conteúdo funciona?

Aqui estamos tratando as marcas como produtoras de conteúdo. Assim, elas precisam medir e analisar os resultados das ações, como fazem os YouTubers. Ou seja, para entender se o conteúdo da marca fez sucesso, vamos olhar para o Analytics da mesma forma que os criadores. Mas que métricas são essas?

Mas você precisa ver além das métricas de visualização e engajamento. É necessário entender que impacto real de negócio essa estratégia está gerando. Para isso, o primeiro passo é definir os KPI’s de negócio para os quais você deve olhar. Quais os ponteiros que essa estratégia precisa mexer?

Exemplos:
Aumento do interesse por um produto ou termo (medido pelo volume de buscas no Google Search); Downloads ou uso de apps; Volume de vendas; Volume de leads.

Mas atenção: os KPI’s precisam estar alinhados entre todos desde o início do projeto, para manter o mesmo foco e expectativas de resultados.

  • Retenção média dos vídeos:

    Volume de visualizações segundo a segundo, para identificar quais momentos de maior e menor engajamento.

  • Índice de likes e dislikes por views:

    Esses índices estão indo bem dentro da média do canal? Ou no caso de um canal da marca, estão bem em relação aos benchmarks que servem de comparação?

  • Qualidade dos comentários:

    Indica o que as pessoas estão falando além dos likes e dislikes.